Crise do Pânico

A Crise do pânico é um dos primeiros indícios de que uma pessoa está sofrendo de Síndrome do pânico. Se já aconteceu de você estar em uma atividade qualquer, como vendo televisão, lavando a louça, caminhando na rua, fazendo compras no supermercado e, de repente, um mal estar físico tomar conta do seu corpo, com tontura, náuseas, suor excessivo, o seu coração começar a bater mais rápido, você fica com dificuldade de respirar e essas sensações durarem por cerca de mais minutos, é bem provável que você esteja tendo uma crise.

O ataque de pânico é também como se denomina uma Crise do pânico. Além desses sintomas, a característica que melhor define a crise é o fato dela aparece subitamente, pegar você de surpresa. Outros sintomas comuns que acompanham um ataque de pânico são tremores, boca seca, aperto no peito e desconforto gástrico. Você começa a se sentir ainda pior quando iniciam as confusões mentais, fica com a sensação de que algo terrível está prestes a acontecer, que você vai enlouquecer, perder o controle, ou mesmo, morrer. Os ataques podem se estender por até meia hora.

Só mesmo uma pessoa que já passou por uma Crise de pânico para saber como é angustiante tudo isso. E, por consequência, ela começa a “ter medo do medo”, esse é um sentimento relatado por muitos pacientes que passam por esse tipo de experiência. Se você se identificou com essa situação, o mais aconselhável é marcar uma consulta média, de preferência com um psiquiatra ou psicólogo, que são os especialistas que costumam a tratar pacientes com a Síndrome do pânico. Embora somente um profissional da saúde especializado poderá fazer o correto diagnóstico do seu caso.

Quando a pessoa demora a buscar ajuda médica, as crises do pânico podem se tornar mais frequentes e, como se fosse pouco, é comum que ela desenvolva outros problemas relacionados, como depressão, demais transtornos de ansiedade e fobias. Além disso, o medo de que um novo ataque ocorra pode prejudicar a sua vida profissional, os seus estudos e as relações com os familiares, conjugue, filhos, amigos, etc.

O que fazer durante uma crise de pânico

Se você acredita que é uma candidata à Síndrome do pânico, mas ainda não procurou ajuda médica ou está aguardando a sua primeira consulta, algumas dicas podem ajudar no caso de ter uma nova Crise do pânico. Mas esses conselhos só vão tornar o momento menos angustiante, não deixe de visitar um profissional da saúde.

Por mais que você fique invadida pelo sentimento de medo, procure manter o controle, sentar em algum lugar que você possa se recostar e comece a respirar profundamente com o abdômen, de forma lenta e pausada, isso vai ajudar a não aumentar o seu enjoo. Os ataques podem acontecer quando você estiver com outra pessoa, assim, o melhor a fazer é pedir que ela lhe faça companhia, fique em silêncio e não faça perguntas.

É preciso que você se concentre e tenha em mente que está passando por uma Crise de pânico, mas que em breve ela vai terminar. Já que é comum, durante um ataque, a pessoa ficar com medo igual a como se estivesse passando por uma situação de perigo, é importante que você olhe ao seu redor e veja que é apenas o seu organismo dando mostras de uma situação que não está acontecendo, que não é real.

O mais importante disso tudo é que você não faça de conta que nada está acontecendo e tente disfarçar. Essa atitude somente vai piorar o seu ataque. Faça força para relaxar e espere que o ataque passe para, então, retomar as suas atividades. Porém, aguarde alguns minutos mais e se certifique de que você está melhor.

 

Deixar um Comentário