Como a Síndrome do Pânico pode Afetar a sua Vida

Existem muito graus de como a Síndrome do Pânico pode afetar a sua vida, sendo que se o distúrbio se desenvolver de maneira crítica, pode até impossibilitar a pessoa de ir trabalhar e de ter uma vida normal. Esses casos acontecem quando o paciente desenvolve fobias, as quais podem fazer a pessoa portadora do distúrbio ter medo de sair de casa sozinha. Porém, para que não chegue a esse grau o transtorno do pânico, é importante que a pessoa busque o quanto antes um profissional da saúde mental que poderá ajudá-la a sair dessa situação.

A demora em se consultar com um psicólogo, psiquiatra e demais profissionais capacitados a tratar uma pessoa com Síndrome o pânico pode, ainda, fazer com que a pessoa tenha crises de pânico mais frequentes. Esses ataques desestabilizam muito o emocional, além de prejudicar asaúde do seu corpo, uma vez que os sintomas das crises são físicos e mentais. Além disso, depois de um ataque, se faz necessário entender como a Síndrome do Pânico pode afetar a sua vida no seu dia a dia.

Isso porque, se você sofre desse distúrbio, pode ter receio de voltar ao lugar onde teve a crise, podendo ser ele qualquer lugar, em casa ou no mercado, em uma loja, na rua, no parque, no trânsito, dentro do ônibus. Não existe lugar para uma pessoa passar por um ataque de pânico e ele também aparece do nada, na maioria das vezes, o que faz a pessoa não entender o que está acontecendo, pois ela sente todos os sintomas que normalmente sentiria em caso de perigo, quando no momento não existe nada de ameaçador.

No entanto, se você teve apenas uma crise de pânico, não significa que você tenha a Síndrome do pânico, existem casos de pessoas que tiveram apenas um ataque e nunca mais voltaram a ter outro. Em contrapartida, se em menos de um mês você teve mais de uma crise é importante que marque uma consulta média. O transtorno do pânico é um transtorno de ansiedade e existem muitos outros problemas que entram nesse grupo e que podem desencadear sintomas semelhantes ao distúrbio do pânico.

Por isso, você pode ter outro problema relacionado com a ansiedade e não necessariamente a síndrome, mas de qualquer forma, é preciso tratá-lo, seguindo as recomendações médicas que, em geral, contam com remédios para amenizar a situação. Mas o que fará você ficar curada de verdade é a terapia, capaz de promover o autoconhecimento, o que permitirá a você encontrar o que motivou a crise.

O que pode acontecer na vida de um paciente de Síndrome do Pânico

As mudanças na vida de um paciente com o transtorno de pânico vão depender de cada pessoa. Você pode iniciar um tratamento para síndrome do pânico e continuar fazendo as suas atividades, como trabalhar, estudar, etc. Porém, existem casos em que a pessoa precisa pedir uma licença do trabalho e largar temporariamente os estudos.

Isso acontece apenas se for de extrema necessidade, pois largar tudo não é o mais indicado. A questão é que algumas pessoas têm dificuldades em se relacionar com as demais e até de sair de casa e por isso suas atividades regulares são impedidas de acontecer.

A tendência, no entanto, é que isso aconteça apenas no início do tratamento, quando os fármacos ainda não estão fazendo efeito desejado, ou se a pessoa adiou muito a sua ida ao médico e estiver com outros problemas, além do distúrbio, como fobias e depressão, o que pode acontecer. Nesse momento de introspecção, você deve se concentrar em reconhecer o que desencadeou o transtorno e nas mudanças que você deve promover em sua vida para que se livre da Síndrome de Pânico.

 

No Responses

  1. Pingback: Medo de sentir medo? Janeiro 23, 2013

Deixar um Comentário